quarta-feira, fevereiro 14, 2007

Os 2 Trincos


trinco
substantivo masculino:
1. estalido dado com os dedos;
2. tranqueta da porta que se levanta ou faz correr por meio de chave;
3. chave que se introduz na fechadura para levantar essa tranqueta;
4. fechadura em que se introduz essa chave;

5. gíria para descrever a posição de médio defensivo no futebol;


Navegando pela blogosfera e pela comunidade de sites relacionados com o Futebol Clube do Porto, sejam eles fóruns ou simplesmente portais, tenho-me dado conta que uma parte considerável da família portista, escala para o próximo jogo no Dragão contra a Naval, 2 trincos no 11.

Ora, tendo em conta que os nossos trincos não se evidenciam por uma forte capacidade criativa ou até classe ofensiva - Assunção ano passado evidenciou uma classe tremenda na função primária do trinco, defender, embora este ano ande muito distante da forma que o notabilizou no esquema do Adriaanse e Raúl Meireles teima em não mostrar classe nenhuma - não dá para perceber o que é que motiva racionalmente a um adepto, querer que o seu clube, em casa contra uma equipa banal como a Naval (sejamos francos, o nosso campeonato é fraquinho em termos de qualidade das equipas e em termos especialmente de mentalidade) jogue na mesma com 2 trincos que não trazem criatividade nenhuma, num jogo em que o adversário raramente passará com a bola controlada do seu próprio meio campo.

Depois de tantos exemplos e de tantos jogos com treinadores pouco ambiciosos, seja no FCP ou noutros clubes, há pessoas que continuam a demonstrar uma cobardia ou uma falta de ambição tremenda.

Pode ser também que haja uma cegueira em relação ao real valor de alguns jogadores que fazem parte do nosso plantel. Lia num fórum um adepto a considerar que o FCP podia jogar com 2 trincos com o Manchester United. Tendo em conta que o Manchester United não joga com 2 trincos, resta considerar que o adepto em questão comparava Carrick a Assunção e Scholes a Meireles. Apesar de Carrick ser obviamente melhor jogador que Assunção (tudo porque Carrick tem uma qualidade de passe soberba e defenda na mesma bem) a diferença aí não destoa muito. Um Assunção em grande forma é muito parecido com um Carrick em grande forma, no que toca a defender, a principal missão do trinco.
Já a comparação de Meireles a Scholes é simplesmente cómica. Não vou escrever muito sobre isto, porque é por demais evidente a estupidez de semelhante comparação, quer pelo facto de um ser trinco e o outro não ser, quer por um ser um jogador simplesmente fantástico e outro até agora quase nada ter provado. Só me alonguei nesta comparação para exemplificar como alguns adeptos andam um bocado cegos com a qualidade de alguns elementos do plantel.

O Futebol Clube do Porto, a jogar no Dragão tem que obviamente assumir o jogo, especialmente se joga contra uma equipa como a Naval. É melhor começar o jogo com apenas um trinco e mais jogadores ofensivos capazes de desequilibrarem com a sua criatividade ou pendor atacante. É melhor entrar em campo com uma equipa vocacionada para o ataque, uma equipa que face ao 11 entende que está em campo para vencer e arrumar com o jogo. É melhor entrar em campo com a vontade de vencer desde o primeiro segundo.

É melhor planificar uma táctica onde os golos são o objectivo, do que a 15 minutos do fim, destruir toda a organização de uma equipa e meter avançados, desequilibrando a equipa e sofrendo um golo por galo no fim do jogo.

É difícil entender isto?


Quero só apresentar aos internautas do FêCêPê o começo de um novo projecto do qual eu faço parte, juntamente com o meu colega de profissão (Herói) MacGyver:

Http://RenteriaMejorAmigo.blogspot.com - Prometemos fazer do Renteria o melhor jogador do mundo, da mesma forma que ajudamos Adriaanse a fazer a dobradinha.

15 Comments:

Anonymous vlk said...

boas,
michael, de facto esta questão dos trincos é algo q tambem ja me fez muita confusão, principalmente em jogos como este com a naval, no dragão, faz-nos pensar: para quê 2 trincos á frente de 4 defesas com 1 equipa que provavelmente vem ao dragao jogar no contra-ataque e com apenas 1 ou 2 jogadores la na frente a tentar a sua sorte...?

pois é exactamente por isso q se calhar faz sentido os tais trincos,talvez mais do que contra 1 grande equipa, estas equipas vem ao dragão para ñ deixar jogar e jogadores como o Assunção e o Meireles são essenciais na luta de meio campo pela posse de bola, porque sem ela é impossivem atacar.

a questao reside no tipo de trincos, o ideal seriam jogadores que sejam bons recuperadores de bolas mas que ao mm tempo sejam bons na sua reposição e saida para o ataque. E aqui apenas o lucho, e em boa forma ñ como actualmente, corresponde no meu entender a esse perfil...

é como disse, esta questão dos trincos ja me causou mais confusão, acho que contra estas equipas são 1 "mal" necessario...

14/2/07 3:35 da tarde  
Blogger Aníbal Letra said...

Pois VLK... mas aí entramos na discussão do tipo de jogador de meio-campo que colocamos. Se metermos dois jogadores como Assunção e Meireles que não têm grande capacidade de progressão, passe e de romper as defensivas adversárias... então qual a utilidade deles? Na minha opinião, num jogo destes a luta no meio-campo nem se coloca... já tem vencedor antecipado. Se o Porto ou uma equipa grande não tiver capacidade de perfurar o meio-campo e defensiva adversária, só lhe resta o chuveirinho... e nem para isso temos jogadores. Na minha opinião... Assunção e Meireles num jogo com a Naval é um pleonasmo!

A minha equipa para Sexta:
Helton; Zé, Pepe, Alves e Mareque; Assunção, Lucho e Jorginho; Quaresma(Vierinha), Postiga e Lisandro.

Fica aqui o meu profundo desagrado pela forma como a exibição de Vieirinha foi apelidada por grande parte dos portistas. O rapaz não jogou grande coisa... é verdade. Mas no primeiro jogo a titular e num jogo em ninguém jogou um charuto... atirar-se para cima do miúdo é querer queimá-lo prematuramente. Ainda falam que não temos mais Cantera... para quê? Para serem assobiados e vítimas de ostracismos?

14/2/07 4:06 da tarde  
Blogger Michael Knight said...

Vlk, se não deixam jogar, o que é preciso é criatividade, rapidez e fantasia. Desequilibro.

Não são precisos 2 trincos para recuperarem bolas de uma equipa que vem para defender. Achas que a Naval vai trocar a bola para o Assunção e o Meireles serem precisos? Óbvio que não. Mais que óbvio que não.

Ter Assunção e Meireles contra equipa que joga na espessura, é ajudar à tarefa deles. É preciso furar.

14/2/07 4:15 da tarde  
Blogger Michael Knight said...

Já agora, aqui fica o meu 11:

Helton, Bosingwa, Pepe, B.Alves, Lucas, Assunção, Lucho, Vieirinha, Lisandro, Moraes, Postiga.

14/2/07 4:17 da tarde  
Blogger andre_vedder said...

toda a jornada da taça UEFA.
VEJA OS ENCONTROS QUE SE IRAM REALIZAR E OS CANAIS TELEVISIVOS ONDE PODERÁ VER OS MESMOS....


WWW.FUTEBOLNATV.BLOGSPOT.COM

OBRIGADO
FORÇA PORTUGAL

14/2/07 4:26 da tarde  
Anonymous vlk said...

Michael e Anibal, eu ñ disse que concordava com a inclusão dos dois trincos, ou que esa opção me agrade, acho é q a inclusão de muitos criativos ou fantasistas, os tais que provocam desequilibrios e que normalmente ñ defendem nem correm atras da bola, faz com que a equipa perca capacidade de luta a meio campo e isso se possa tornar fatal...

aliás, na minha opinião o meio campo perfeito, e na de todos os portista creio,seria o assunçao-lucho-anderson. um so trinco o lucho na transição e um tipico 10 que tanta falta tem feito.

acho que é hoje mais do que evidente que a equipa sem o anderson e o quaresma ñ tem quem pegue no jogo e transporte a bola para a frente, e por isso tambem concordo com a inclusão do jorginho, apesar de ñ ser 1 jogador do qual seja muito apreciador..

quanto á questao da qualidade dos trincos, essa é outra historia, sempre fui da opinião de que o Porto tem 4/5 jogadores muito bons e o resto ñ são mais do que banais....

14/2/07 6:21 da tarde  
Blogger JRP said...

Impressionante... um post e seis comentários e a palavra Ibson não é colocada como hipótese nem uma vez!
Bolas, eu devo andar cego...

14/2/07 8:25 da tarde  
Anonymous andre said...

Ibson?

Depois do que ele (não) tem feito...

Ibson é um bom jogador, mas na minha opinião só pode jogar no lugar do Lucho. Nem é trinco nem é "10".

Correr não é com ele
Jogar rápido tb não

Acho que contra a Naval se prefila a equipa que o Michael adiantou.

15/2/07 9:45 da manhã  
Blogger Aníbal Letra said...

Jorge:

O Ibson tb é uma solução... mas a verdade é que, ultimamente, quando tem sido chamado não tem mostrado credenciais. Mas, contra a Naval, é sempre preferível jogar com Ibson do que Meireles. O Brasileiro é muito mais rompedor e mexe com o jogo ofensivo da equipa.

15/2/07 9:57 da manhã  
Blogger JRP said...

ok, Aníbal.
Também me parece. É que depois de tantos jogos em que todos jogaram mal, o tipo parecia destinado a ser outra vez o Cristo.
Dêem-lhe, nem que seja uma só vez, a oportunidade de jogar com a equipa na máxima força (mesmo que seja sem o Quaresma). Quando ele foi usado nessas condições, nunca desiludiu!

15/2/07 12:30 da tarde  
Anonymous kostadinov said...

michael,
é preciso furar e colocas 2 pts de lança no fundo do buraco ? E para lá chegar ?
O unico jogador que poder ser utilizado como trinco e que tem criatividade é o Zé, mas esse está destinado a lateral.
E porque não Cech no meio campo, uma aposta que ja teve sucesso no passado recente.
De qq forma palpito que o Anibal terá acertado na muche em relação ao 11

15/2/07 2:28 da tarde  
Anonymous kostadinov said...

michael,
é preciso furar e colocas 2 pts de lança no fundo do buraco ? E para lá chegar ?
O unico jogador que poder ser utilizado como trinco e que tem criatividade é o Zé, mas esse está destinado a lateral.
E porque não Cech no meio campo, uma aposta que ja teve sucesso no passado recente.
De qq forma palpito que o Anibal terá acertado na muche em relação ao 11

15/2/07 2:28 da tarde  
Blogger lucho said...

Estou de acordo com o Aníbal, Ibson a titular.Amanhã estarei no dragão e apoio é q n pode faltar à nossa equipa...
Convido-o, caro amigo, a vir ao meu blog e comentar as alterações q serão necessárias fazer no onze base do FCPorto...Blog do Lucho:
www.sergiopmgomes.blogspot.com

15/2/07 2:36 da tarde  
Blogger Michael Knight said...

kostadinov, obviamente que o Postiga e o B.Moraes não vão estar fixos dentro da pequena area durante 90 minutos, digo eu.

Mas se é preciso dizer eu digo:

O Postiga e o B.Moraes (mais este último) obviamente não estarão parados na frente.

15/2/07 2:40 da tarde  
Anonymous miguel87 said...

Ponto prévio: não me parece que Meireles seja trinco, antes um médio centro puro.
Depois, acho que falta ver a questão por outro prisma: a colocação dos jogadores no campo. Um dos melhores, senão o melhor jogo que o porto fez foi em moscovo (e o cska joga com um meio campo de 5 elementos), onde o meio campo foi como eu penso que deveria ser sempre: 1 trinco - Assunção e 2 médios Á FRENTE dele: Lucho e Meireles. Se repararem, na maior parte dos jogos Meireles joga num "buraco": entre o trinco e o médio centro, quando deveria jogar era na posição do Lucho - entre o trinco e a posição 10, posição essa que neste momento simplesmente não existe no jogo do Porto. Penso que é esta a prnincipal razão pela fraca creatividade e produção da equipa, já que o que voces chamam 2º trinco não tem influencia nenhuma no jogo, o Lucho enquanto não se apaga ainda vai fazendo umas aberturas, mas que ao mesmo tempo são insuficientes porque 1 dos extremos é "falso" deixando a equipa manca e afunilando demais o jogo.

15/2/07 8:41 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home