quinta-feira, fevereiro 16, 2006

A história do FCP dos últimos 25 anos Parte I – Os melhores estrangeiros

A eleição

Com a preciosa e massiva colaboração de todos os que por aqui votaram, procedemos à eleição dos melhores estrangeiros dos últimos 25 anos. Deixo-vos de seguida uma breve nota sobre cada um dos 11 eleitos:

Guarda-Redes

Mlynarczyk (Polónia): Transformou o frio da sua terra natal em frieza entre os postes, à qual aliou uma segurança fantástica. Foi um pilar da 1ªequipa campeã europeia do FCP e só cedeu o seu lugar na baliza ao “monstro” Baía. Ganhou por goleada, sem espinhas.


Defesa-Direito

Seitaridis (Grécia): Chegou ao FCP na ressaca do Euro 2004, onde se sagrou campeão europeu pela sua selecção e ao que se soube após intensa disputa com o Real Madrid. Após um época regular (embora sem brilhantismo) foi estranhamente vendido no “pacote” ao Dínamo de Moscovo. Ganha, essencialmente, por falta de concorrência à altura.


Defesa-Esquerdo

Branco (Brasil): Um defesa esquerdo de excepção, que ainda hoje deixa saudades. Titular da selecção brasileira, era temível pela potência estratosférica dos seus livres. Não teve concorrente nesta eleição.


Defesa-Central

Aloísio (Brasil): Chegado do Barcelona, cedo se impôs pela forma elegante como jogava. Não sendo um prodígio técnico, tinha um timing de desarme absolutamente irrepreensível. Jogou muitas épocas no FCP ao mais alto nível o que certamente lhe ajudou a garantir o 1ºlugar entre os defesas centrais. Actual responsável pela equipa B do FCP.

Geraldão (Brasil): Mais um dos excelentes exemplos de centrais brasileiros que passaram pelo nosso clube. Tinha um pontapé temível na marcação de livres. Garante o lugar no onze ideal relegando para as posições seguintes dois grandes monstros: Celso e Demol.


Médio-Defensivo

Emerson (Brasil): Contratado ao Belenenses, este poço de energia teve uma carreira ascendente no FCP, que complementou posteriormente com uma carreira internacional de sucesso. Apesar de um estilo algo “trapalhão” era de uma grande eficácia, não só a destruir mas também a construir e a finalizar. Ganha esta eleição com a forte oposição do paraguaio Paredes, eventualmente penalizado pelo pouco tempo que permaneceu no Porto.


Alas

Madjer (Argélia): Das “Arábias” chegou nos anos 80, aquele que foi provavelmente o melhor estrangeiro de sempre a envergar a camisola azul e branca. Fabricou a Taça dos Campeões Europeus de 1987 com um golo de calcanhar que ficará para sempre na história e uma assistência para o brasileiro Juary. Dono de uma técnica fantástica e de uma alegria contagiante, ganhou aos pontos esta eleição.

Drulovic (Jugoslávia): Após uma passagem por Barcelos, chegou ao FCP para, com o auxílio do seu fabuloso pé esquerdo se transformar no abono de família dos avançados. Foi o “pai” de Jardel pela qualidade e quantidade das assistências que lhe proporcionou, sendo ainda considerado o “inventor” dos centros de trivela. Excelente pessoa foi com alguma mágoa que o vimos sair do nosso clube rumo a Sul, onde jamais o seu brilho foi o mesmo. Venceu nesta eleição por “photo finish”, batendo mítico búlgaro Kostadinov, o que deixa bem vincada a admiração dos portistas por si.


Médio-Interior

Deco (Brasil*): O mágico! Chegou em pezinhos de lã, via Salgueiros, depois do nosso maior rival não lhe ter reconhecido qualidade suficiente. Aliou à técnica fantástica, uma capacidade de luta e uma entrega ao jogo notáveis, o que lhe permitiu atingir o estrelato. Ficou ligado às mais importantes conquistas dos últimos anos e apesar de ter rumado à Catalunha para se tornar titularíssimo do Barcelona, jamais esquece o nosso clube. Que regresse um dia!

*Apesar de se ter posteriormente naturalizado português, fez a quase totalidade da sua carreira no FCP como brasileiro, o que justifica a sua inclusão na equipa de estrangeiros.

Lucho Gonzalez (Argentina): É hora do Tango! Apesar de só esta época ter chegado ao nosso clube já conquistou todos os adeptos, quer pela sua imensa qualidade futebolística, quer pela sua personalidade. Tacticamente irreprensível, tecnicamente muito evoluído, tem-se ainda destacado pela sua excelente capacidade de finalização que o torna no melhor marcador esta época.
Que fique por muitos anos é o que melhor podemos desejar a este indiscutível de uma das mais fortes selecções mundiais. Uma palavra de mérito para o esloveno Zahovic e para o russo Aleinitchev que deram muita luta a Lucho nesta eleição perfeitamente justificada pelo facto de terem sido verdadeiros jogadores de excepção.


Ponta-de-Lança

Jardel (Brasil): O matador! Impressionante a facilidade com que fazia golos de todas as formas e feitios. Imbatível na colocação na área, mortífero a cabecear e com um pé fulminante foi o maior goleador em Portugal dos últimos 20 anos. Interrompeu bruscamente a sua notável carreira, depois das passagens pela Turquia e pelo Sporting, naquilo que podemos considerar uma grande perda para o “futebol dos golos”. Foi o último grande homem de área, do nosso FêQuêPê.


Treinador

Bobby Robson (Inglaterra): Dispensado do Sporting, chegou ao FCPorto e cedo se impôs pela sua simpatia e pela qualidade e espectacularidade do futebol que implementou. Saiu para Barcelona ao fim de 2 épocas e meia de êxitos internos, à procura quiçá de um título internacional que nunca conseguiu conquistar pelo FCP. Não teve rival como melhor treinador estrangeiro.

Os resultado integrais podem ser visualizados seguindo os links seguintes:

Guarda-Redes; Defesa-Direito; Defesas-Centrais;
Defesas-Esquerdo; Médio Defensivo; Volante/Médio Ofensivo;
Alas; Ponta-de-lança; Treinador;


Por último deixo uma nota com a minha equipa dos melhores estrangeiros:
Mly; Seitaridis, Celso, Aloísio e Branco; Paredes; Lucho e Deco; Kostadinov e Madjer; Jardel! Comandada naturalmente por Bobby Robson.


Podem começar desde já a votar nos piores estrangeiros...

ATENÇÃO: A autoria deste Post é do Pedro Reis que por indisponibilidade temporária não o pôde colocar directamente no blog.

16 Comments:

Blogger Mag said...

Parabens.
Foi uma magnifica iniciativa, e um magnífico trabalho.

16/2/06 12:08 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Só um pequeno toque:
E o grande treinador TOMISLAV IVIC!?!

16/2/06 1:56 da tarde  
Blogger Pedro Bessa said...

Apenas gostaria de vos alertar para o facto de o melhor defesa central de todos os tempos do FCPorto, no meu entender claro, estar a jogar no nosso fantástico FCPorto.

PEPE!

Mais uns anitos, não muitos, talvez uns mesinhos apenas, e vão ver como tenho razão ;)

16/2/06 2:03 da tarde  
Blogger André Domingues said...

Tenho pena que o Kostadinov não tenha sido um dos eleitos. Mas qualquer um dos 2 mais votados para essa posição, Drulovic e Madjer, também merece a nomeação!
Os meus parabéns por este trabalho notável!!!

16/2/06 9:20 da tarde  
Blogger Bulhão Pato said...

Embora fale em casa alheia, gostaria de lembrar que o grande central que foi Stéphane De Mol (para mim, bem melhor do que Geraldão ou Aloísio). E no meu onze também colocaria o Kostadinov, terror da defesa do meu Sporting.
Um abraço e parabéns pelo post.

17/2/06 12:56 da manhã  
Anonymous eduardo said...

Acho que sim senhor... dou os parabéns pela inciativa!!! Fez-me reviver alguns bons momentos :)

À semelhanºa do andré domingues também eu lamento que o Kostadinov não tenha entrado no 11... mas é compreensivel!!!
Recordo ainda aquele golo de primeira ao Famalicão :)

Continuem... este sem duvida que virou o meu blog de referência!!!

Falta é a antevisão do jogo do proximo domingo!!!

17/2/06 9:28 da manhã  
Anonymous Sérgio said...

Também dou os parabéns pelo post mas pergunto: como foi possível esquecerem-se do Cubillas?

Abraços

17/2/06 3:24 da tarde  
Blogger Aníbal Letra said...

Sérgio... o Cubillas não foi esquecido. Mas esta votação é referente aos últimos 25 anos. Pós 1980... Cubillas é da decada de 70.

17/2/06 3:54 da tarde  
Anonymous guardabel said...

Ora bem, a equipa escolhida por todos foi também a que eu escolhi com uma excepção: votei Za em vez de Lucho.

Uma pequena história relativa ao Geraldão. Antes de um FCP-Sporting nas Antas, o Ivkovic deu uma entrevista em que disse que sabia muito bem como o Geraldão marcava os livres. Adivinhem lá como é que o FCP marcou o primeiro golo desse jogo (que ficou 3-0), eh eh

Fiquei surpreendido por o Doriva ter tido tão baixa votação... Apesar de ter votado Emerson, pensei que o Doriva acabasse por ganhar. O Paredes desiludiu-me muito na segunda época que fez, antes de ir para Itália...

Ok, vamos lá votar nos falhanços...

17/2/06 4:21 da tarde  
Blogger cafajeste said...

Acho um crime esquecerem-se assim do Kulkov, não falhava um único passe e jogava com uma inteligência 1.0000000000de vezes superior à do Emerson.

18/2/06 4:15 da tarde  
Blogger Aníbal Letra said...

Cafajeste: O Kulkov esteve nos nomeados. Obteve apenas 2 votos em 364. Zahovic, Alenichev, Lucho e Deco reuniram as preferências dos votantes.

19/2/06 12:35 da tarde  
Blogger cafajeste said...

É PENA...

19/2/06 6:29 da tarde  
Blogger Pedro Bessa said...

Guarda Abel, se a memória não me engana, essa entrevista do Ivkovic não tinha como alvo o Geraldão mas sim o Branco. Eu estava lá nas Antas e tinha acabado de ler o jornal 5 minutos antes do jogo começar. Esse primeiro golo foi de um livre batido pelo Branco do lado esquerdo do ataque junto à linha lateral a uns 5/10 metros da linha de fundo. :)
Alguem pode confirmar isto?

20/2/06 8:09 da tarde  
Blogger DragãodeÁgueda said...

Excelente iniciativa. Deu para recordar momentos de grande glória que fazem parte do meu baú de recordações.
Convido a visitar
http://porto1893.blogspot.com/

25/2/06 11:20 da manhã  
Blogger Aníbal Letra said...

Pedro Bessa: Acho que foi mesmo o Geraldão!!
Já um ano antes, em Alvalade, o Geraldão tinha marcado um livre literalmente em cima da linha de meio campo... e foi golo. Ganhamos 1-0.

13/3/06 3:32 da tarde  
Blogger abilio said...

Gente!
E ninguéem fala no defesa k foi o grande joao Pinto, ou o capitao Jorge Costa

2/6/07 8:34 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home