terça-feira, fevereiro 14, 2006

Para quando o fim do silêncio?

O black-out é uma medida de precaução que as administrações dos clubes gostam de instituir para se defenderem de fantasmas que eles criam e que não conseguem controlar: O medo das declarações bombásticas de jogadores e treinadores. É usado também como uma solução punitiva quando a comunicação social em geral ou alguns orgãos em particular teimam em "portar-se" menos bem com um clube. Outros, tentam através do black-out, blindar-se ao exterior querendo com isso fortalecer o espírito de grupo.

O grande problema é que quem padece são os adeptos e o futebol como espectáculo. A promoção do futebol vive dos jornais, das televisões e das rádios. Se um clube de futebol faz black-out está a bloquear a melhor forma de promover o seu negócio.
Eu queria ouvir Adriaanse explicar-se mais profundamente sobre Baía e escalpelizar as vantagens da sua estratégia à Prof. Pardal. Saber como Pepe se está a sentir com as grandes exibições que tem efectuado. Conhecer o que pensa Lucho do clube e da forma como já é um ídolo para os adeptos. Que Quaresma explicasse a que se deve a sua quebra de forma… será que o sistema de jogo não terá nada que ver com isso? Ouvir de Adriano, as impressões sobre o novo clube. Saber do estado de alma dos jogadores e técnicos e pressentir o que podemos esperar desta recta final.

Acabem lá com isso… falem de uma vez por todas!

13 Comments:

Blogger André Domingues said...

Plenamente de acordo! Os principais prejudicados somos nós adeptos!
A imagem do clube também é afectada pois a promoção da mesma é muito menor quando os principais protagonistas não prestam declarações...

14/2/06 7:42 da tarde  
Blogger Pedro Reis said...

Inteiramente de acordo! Não encontro motivos para estes blackout de que o nosso clube tem abusado ao longo das últimas épocas. São uma imagem de fragilidade dos dirigentes e deixam uma má imagem do clube. E os adeptos do FCP é que sofrem. Mesmo para aqueles jornais/jornalistas atrasados mentais eu falava e de "peito feito" para lhes mostrar que não somos pacóvios.

Mas infelizmente há quem não pense assim...

14/2/06 11:06 da tarde  
Blogger Fitzx said...

Exacto.Isto já cheira mal.

Para além disso tudo,ainda gostava de ter ouvido reacções ao roubo do paixão contra o Braga.

O único que fala...é o Deco.Ainda hoje no TJ da RTP.

15/2/06 12:38 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Isso é muito lindo de dizer, mas num País onde proliferam as Bolas e os Records, sem esquecer os Queridos Manhas da TVI, qualquer palavrinha do Adriaanse era logo tema para desestabilização.

Ou é mentira que tudo o que ele dizia era logo mal interpretado? Quem não se lembra do que inventaram sobre o que ele disse em Milão, ele quis dizer escorregou e os jornalistas disseram que o Meireles estava a dormir. Assim, pelo menos, acaba-se com o mal pela raíz, sofremos nós porque queremos explicações, mas a equipa fica resguardada dos ataques constantes da imprensa anti-portista.

Se algum de vocês negar que a BOla e o Record são anti-portistas, calo-me e retiro o que disse.

15/2/06 1:03 da tarde  
Anonymous Pavlovdoorman said...

Quanto ao Blackout concordo com a vossa opinião, no entanto gostaria d relembrar k Quaresma teve d fazer 2 jogos pela selecção no torneio Vale d Tejo kuandfo todsos os outros jogadores d clubes grandes só fizeram 1... ñ explica tudo mas ajuda

15/2/06 2:07 da tarde  
Blogger Aníbal Letra said...

Em relação a Abola e ao Record estou perfeitamente de acordo... já o escrevi várias vezes. Mas o black-out não é solução nem é por causa disso que esses jornais vão deixar de "malhar" no treinador. Limitavam as conferências de imprensa para determinados orgãos de comunicação social, punham os "repórteres" da Dragões a fazer mais entrevistas... o que é preciso é que a informação chega cá e que a promoção do espectáculo se possa fazer. Que o F.C.Porto é discriminado em mts situações não tenho a mínima dúvida... mas não falando apenas calamos a indignação. Se no tempo de Pedroto fizessemos Black-out nunca tínhamos atingido o nível actual. O poder da palavra é enorme... é preciso saber usá-lo com inteligencia!

15/2/06 2:31 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Está bem, isso serve para quando a massa associativa está toda unida à volta de um presidente e de um treinador, mas desde que Mourinho saiu sabes bem que muitos adeptos se tornaram ultra críticos, num ataque feroz ao presidente e sobretudo ao treinador. Por eles, já estávamos nesta altura no 3º treinador da época. A não ser que seja mentira aquilo que vi no Dragão com o Braga, o cúmulo dos cúmulos de fazermos a melhor exibição da época, termos um azar tremendo e sermos roubados, e mesmo assim aparecerem uns palhaços travestidos de portistas a mostrarem lenços brancos.

Se ele abrisse a boca ainda era mais cilindrado!!!

15/2/06 4:47 da tarde  
Blogger Aníbal Letra said...

Ok caro anónimo... então estás a dizer-me que o black-out é por causa dos adeptos. Não faz sentido! Concordo que muitos adeptos não conseguem ter uma leitura limpa de uma partida de futebol. O que se possou no Braga e que se tem passado, não só no estádio mas também por uma parte significativa da blogosfera portista é por demais ridícula. Parece que temos um inimigo a treinar a equipa. Mas eu acho que aí a palavra dos jogadores, se ela pudesse ser exercida, seria muito benéfica. Se Baía pudesse falar, se Pedro Emanuel pudesse falar, se Quaresma pudesse falar, se Lucho pudesse falar... acho que não teríamos chegado ao ponto em que nos encontramos em que Adriaanse é preso por defender e preso por atacar; Preso por querer defender o resultado e preso por não tomar cautelas quando se encontra a ganhar.

15/2/06 5:06 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

É isso aí, caro amigo. Quando tu tens adeptos a dizerem-te, como eu já tive, que mesmo que este treinador seja campeão querem que ele se vá embora, e tarjas em Belém a dizerem Co Go Home, tudo o que ele diga será sempre interpretado de forma a criar aquilo que já está criado e que nos fez deitar por terra algumas vitórias com assobiadelas inexplicáveis, a divisão entre os adeptos.

Quanto aos jogadores, sabes bem que a maior parte deles não sabe contornar perguntas com ratoeiras, está-se mesmo a ver o Diego a responder que não gosta deste 3-3-4, o Baía a dizer que não percebe porque foi retirado da equipa, o Ibson idem, o Jorginho, Ricardo Costa e o Bosingwa instados a responderem o que sentem quando são assobiados no Estádio do Dragão pelos seus adpetos, a dizerem que não percebem e que não os considera verdadeiros adeptos... enfim rol de coisas que quanto a mim justificam este mal menor- è óbvio que se tivessemos a boa imprensa que Koeman e Paulo Bento têm para não andarem sempre a serem questionados sobre as suas tácticas e escolhas quando levam na tarraqueta do leiria ou do Marítimo... Mas não temos, nem mesmo O Jogo...

É aguentar até termos o título conquistado, porque este vai ser, a todos os níveis, o título mais dificil de conquistar, contra tudo e contra todos!!!

15/2/06 5:34 da tarde  
Blogger Aníbal Letra said...

Percebo onde queres chegar mas os clubes têm que saber gerir esse tipo de situações e não, como fez o Porto, cortar a árvore pela raíz quando ela apenas precisa de uma poda.

Como disse, se existe comunicação social que desrespeita o clube e mente constantemente(como foi o caso do Record ainda hoje que afirmou que o Porto pagou ao Marco Ferreira para sair)... então é necessário banir esses orgãos de comunicação social das conferências de imprensa.
Cortar a árvore pela raiz, acho mal!

15/2/06 5:55 da tarde  
Blogger FL said...

Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

15/2/06 8:08 da tarde  
Blogger FL said...

concordo, ja era tempo de acabar com black out!

15/2/06 8:10 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Concordo k se tivessemos imprensa isenta deviamos retirar o blackout mas infelizmente isso não acontece e os jornalistas praticamente fazem o seu trabalho com a camisola do seu clube vestida e não os podemos retirar só a eles das conferências de imprensa porque seríamos multados !!!

15/2/06 9:31 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home