quarta-feira, março 01, 2006

Grandes Jogadores : Futre o "Génio"


Considerado um dos melhores extremos de sempre do futebol português e até mesmo a nível mundial, Paulo Futre começou por dar os primeiros pontapés na bola na sua terra natal, o Montijo, mas no futebol salão. Nunca chegou a jogar pela equipa de futebol de 11 da sua terra, tendo sido entretanto descoberto, por alguém ligado ao clube de Alvalade, que o fez ingressar, juntamente com Litos, nos juvenis do Sporting.
Na época 1983/84 tornou-se sénior, tendo sido um pouco desprezado pelo seu clube de formação, devido a um pedido de melhoria salarial que, João Rocha, o então presidente do clube de Alvalade não quis aceder. Transferiu-se na época seguinte para as Antas, onde foi uma aposta imediata de Artur Jorge e obteve um sucesso tremendo. Em três épocas ao serviço do F.C.Porto, conquistou dois campeonatos e uma Taça dos Campeões Europeus, com especial destaque para a notável exibição diante do Bayern de Munique na final da Taça dos Campeões no Estádio do Prater em Viena. No início da época 87/88 é apresentado como trunfo eleitoral de Gil y Gil para as eleições no Atlético de Madrid. O empresário venceu confortavelmente o sufrágio e para as Antas voaram 600 mil contos, tornando-se na maior transferência do futebol português até ao momento.
Ao serviço do Atlético, não conseguiu obter o sucesso desportivo que desejava, mas ainda assim tornou-se num dos grandes símbolos de sempre do clube. Cinco anos e meio depois de chegar a Espanha, com duas Taças do Rei conquistadas, Futre regressou ao futebol português em 1992/93, agora para representar o Benfica. Ao serviço deste clube, Futre conquistou uma Taça de Portugal. Problemas de ordem financeira levaram-no a sair prematuramente do clube, transferindo-se em 1993/94 para o Olympique de Marselha de França. Começa então uma fase mais negra na carreira de Futre: Graves lesões (principalmente uma no joelho) levam-no a ter períodos muito longos de inactividade. Depois do fracasso em França, transferiu-se para o Reggina onde teve alguma preponderância, seduzindo o A.C.Milan, que o contratou para a época 95/96. Marcou presença em poucos jogos, mas os suficientes para se tornar campeão de Itália. Na época seguinte experimentou o campeonato inglês, assinando pelo West Ham, mas nunca atingiu os patamares exibicionais que o notabilizaram. Em 1997/98 regressou a uma casa que tão bem o conhece e que lhe será eternamente grata, o Atlético de Madrid, mas a lesão no joelho impediu-o de jogar, fazendo apenas 10 partidas na equipa de Radomir Antic. Acabou a carreira no Japão em 1999, alinhando pelo Yokohama F. Marinos.
Na selecção, Paulo Futre, ainda muito jovem, esteve no Mundial do México, mas teve o azar de ter pertencido à geração do Pos-Saltillo, que nunca gozou de estabilidade para conseguir resultados apreciáveis. A partir de 92, quando a Selecção Nacional voltou a ter estabilidade e uma equipa competitiva, as fases finais dos campeonatos do mundo e europeus eram falhadas fatalmente.
Tornou-se empresário da industria hoteleira e dirigente do Atlético de Madrid, ao lado do seu sempre fiel amigo e presidente do clube espanhol, Jesus Gil y Gil, já falecido. Actualmente, Futre divide-se entre uma empresa de equipamentos desportivos e o apoio técnico no A.C.Milão, no qual é responsável pela descoberta de jovens promessas na península ibérica… o olheiro.
Destaque ainda para o facto do antigo internacional português ter gravado, à dois anos, um filme que retracta a sua longa carreira de profissional de futebol. Em entrevista ao site oficial da UEFA, Paulo Futre, passou em revista o período em que representou os «colchoneros», anunciando, para breve, uma grande novidade. O antigo extremo revelou ainda sobre o assunto : «Terminei há um mês o filme sobre a minha vida, que levou um ano a ficar completo. Agora estamos na fase das reuniões». «Gostava que estreasse a 28 de Fevereiro, data do meu aniversário, para que pudesse ser um presente para os meus pais. O filme conta a história desde que iniciei a minha carreira e contém imagens de arquivo. Trabalhei com três grandes realizadores portugueses na sua elaboração. É certo que também vai estrear em Espanha», contou.
Bilhete de Identidade :
Nome : Paulo Jorge dos Santos Futre
Nacionalidade: Portuguesa
Naturalidade : Montijo
Data Nascimento: 28-02-1966
Altura: 1,75m
Peso: 73kg
Clubes: SportingC.P. (1983/84) ; F.C.Porto (1984/87) ; Atlético Madrid (1987/92) e (1997/98) ; Benfica (1992/93) ; Ol. Marselha (1993/94) ; Reggiana (1993/95) ; A.C.Milão (1995/96) ; West Ham (1996/97) e YokohamaF.M. (1999).
Palmarés como jogador :
Campeão de Portugal: 1985, 1986 (F.C.Porto)
Taça de Portugal : 1984 (F.C.Porto), 1993 (Benfica)
Supertaça de Portugal: 1985, 1986 (F.C.Porto)
Taça dos Clubes Campeões Europeus: 1987 (F.C.Porto)
Taça do Rei (Espanha): 1991, 1992. (Atl. Madrid)
Campeão de Itália : 1996 (A.C.Milão)
Bola de Prata (Espanha) : 1988 (Atl. Madrid)
Trofeu Bravo de Bronze (Espanha): 1988 (Atl. Madrid)
Selecção Portuguesa : 41 Internacionalizações/6 golos

4 Comments:

Blogger Ricardo said...

Grande jogador, sem dúvida. O 2º campeonato da era Artur Jorge (1985/86?) foi 'ganho' por ele. Lembro-me, já agora, de um penalty sacado por ele em Coimbra, a chover a potes, em que o defesa da Académica tenta fazer um corte de carrinho, e o Futre, a 2 metros do adversário, atira-se para o chão e... Penalty!!! Golo de André.

1/3/06 12:28 da tarde  
Blogger Freddy said...

Ainda me lembro dele a lixar o joelho depois de ter marcado alto golo no 1º jogo pela Reggiana...
Mas ainda me lembro melhor de o ver jogar nas Antas completamente cheio contra o Dínamo de Kiev onde marcou alto golo!!!

2/3/06 12:24 da tarde  
Blogger josefino said...

assim se vê a grande escola do sporting..

5/3/06 10:57 da tarde  
Blogger Dragonis said...

Foi pena ter desperdiçado os melhores anos da carreira num clube que desportivamente não estava à altura dele.

7/3/06 5:26 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home